sábado, 31 de dezembro de 2011

Enfim, chegou o momento. Até breve família Drescher!!!!!!

Sabe aquele toque de telefone que antes da virada do ano você tem a certeza de que vai receber? Aquelas palavras que foram ditas pessoalmente, mas que parece que o momento nunca vai se tornar realidade. Mas chegou. Os nossos companheiros de vida, dos últimos tilintar de taças à beira mar do mar de Zimbros, partem para um ......ATÉ BREVE!!!!!!!!
Os brindes na virada do ano que aprendemos a fazer juntos como se fossemos uma única família, que pula cada onda saudando e dedicando algo de maravilhoso a cada ente querido que esta distante de nós, mas naquele momento ali está presente.


Três últimas viradas de ano felizes com os pequenos Théo e Dora, ao lado do belo casal Johnny e Célia, pensando em todos que distante de nós estavam, mas que aprendemos a saudar à distância e esperar o momento de nos encontrar para estes momentos vivermos, sem sofrer pela distância.

Mas hoje, 29 de dezembro de 2011, não posso negar !!!!!!!!! Sofro pela falta dos eternos companheiros de vida, já que toda rotina vai ser ser mudada. O ‘porquinho’ do Johnny não vai mais para o forno; a sopa com gengibre dos pequenos não mata nossa fome nas horas em que esquecemos de comer e ficamos apenas a nos embriagar...

Amados, a lentilha da sorte estará na mesa. Pra vocês, para nós....não posso dizer que as lágrimas não estarão em meus olhos, já meu coração foi preenchido, sempre, pelo amor de vocês no primeiro dia de um novo ano. Tantos cadernos, com nossos desejos.....desejos esse quase todos conquistados, já que nunca pedíamos muito, apenas o bastante para encher nosso peito de força para enfrentar os percalços da vida; e o desejo de lutar pela felicidade; por ter força para aprender a brincar mais com os filhos; nos dedicar mais aos amigos...enfim. Viver mais a vida.

Não quero que este post seja de tristeza, apenas de passagem...mas, como Johnny mesmo me ensinou, estamos apenas iniciando um novo ciclo!!!!!!!Desejo o amor maior do mundo a vocês.
Dora, e para você que faz anos daqui a alguns dias, papai vai ter de fazer um bolo de confete para você, assim como tio Felipe fez este ano (2011) e cantamos, comigo à distância, parabéns ao seu dia!
Théo, pequeno grande Théo, não esquece dos nacos de carne que fatiamos para você, dos nossos banhos mar, da Frida querendo roer seu calção e tantos outros momentos compartilhados  e que logo estaremos juntos. 

Ah, e  para iniciar realmente o novo ciclo das nossas vidas, o nosso jardim clandestino foi avariado pela decisão da própria natureza!!!! A nossa árvore de araçá resolveu realmente nos deixar. Depois de décadas e décadas nos proporcionando o sabor dos seus frutos e a sombra de seus galhos também decidiu se partir.

sábado, 24 de dezembro de 2011

Entre brindes e quitutes, o bom mesmo é ser feliz!!!!!

Pastas, brusquetas, carpaccio rústico, antepastos, queijos, massas artesanais....,mas para que todos estes quitutes sejam degustados entre brindes, risos e abraços verdadeiros o que vale mesmo são as pessoas que você escolheu para seguir a vida a seu lado. Em cada evento que realizamos aqui no Pastifício Dell’Amore a nossa alegria real é a de cozinhar e conferir o prazer e dedicação das pessoas que aqui se encontram para transformar um dia comum em um momento especial, eternizado na memória de todos!!!
Na ocasião foi Fabi Ferreira, que resolveu brindar à vida, ao lado de suas companheiras. Para a especial ocasião, o prato principal foi Agnelotti com frango aos três limões salteados na manteiga de sálvia. 
Agnelotti de frango aos três limões na manteiga de sálvia
Recheio - Ingredientes
 - 200 gramas de franco picado em cubos pequenos ( 1 peito de frango caipira)
- 1 colher de sopa de bacon bem picado
-1 cebola bem picada
- 1 punhado de tomilho limão fresco (cerca de 2 colheres de sopa)
- 1 bulbo de capim limão (erva cidreira) picado
- 1 folha de limão cortada finamente
- 1 punhado de alecrim fresco picado (cerca de 1 colher)
- gengibre fresco ralado (cerca de 1 colher de sopa)
- 3 colheres de bechamel* ( 1 colher de manteiga + 1 colher de farinha de trigo + ½ xícara de chá de leite). *Derreter a manteiga em fogo baixo, agregar a farinha e mexer, sem parar com um foie (batedor de arame). Coloque oleite aos poucos e continue a mexer, até ficar um creme. Cubra com filme plástico até o momento de usar - assim não forma película na superfície.
- 1 concha de caldo de carne caseiro
- 1 pitada de sal
- Azeite de oliva 
- Uma punhado de folhas de sálvia para a finalização
 Para a massa
- 1 quilo de farinha
- 5 ovos
- incorporar  bem os ingredientes, enrolar em filme plástico e levar à geladeira para descasar cerca de 40 minutos. Enquanto prepara o recheio.
Obs. Para massas recheadas o ponto deve ser mais seco, não muito úmido para que os agnelottis não se abram durante o cozimento.

sábado, 17 de dezembro de 2011

Torta de amoras para a 'Arte do Encontro'

Este não é o primeiro post sobre pessoas especiais, que vivem sua rotina como todos nós, mas conseguem manter a delicadeza e o amor pela vida para dedicar alguns momentos para brindar, degustar, conversar e, realmente, viver a vida como deve ser vivida ao lado de gente querida. Plagiando o grande Vinícius de Moraes, “a vida é a arte do encontro, embora haja tanto desencontro pela vida”. Por isso, considero muito que tem a atitude de ‘parar tudo’ e, ‘em prol da arte do encontro’ proporcionar momentos de descontração, dedica algumas horas para simplesmente estar junto. Na ocasião, o Pastifício Dell’Amore proporcionou aos convidados da anfitriã Dani um cardápio que contou com as tradicionais e variadas Entradas (Creme Mediterrâneo - entrada típica da Toscana, com tomate seco triturado, alho e alcaparras); queijos variados (Gorgonzola, Cabra e Emmental) e a Berinjelas para Anastácia (Finas fatias de berinjela, intercaladas com molho sugo do Pastifício e queijo brie). 
Para o Primo Piatto, Cappeletti in Brodo  (Cappellettis artesanais, servidos em caldo de galinha, com legumes, frango e um defumado para lá de especial).Para finalizar o cardápio, como segundo prato o Fraldinha de Miga ao Molho Roti – Fraldinha de miga ao molho roti, servida com salada rústica de tomates.




spaguetti caseiro

As pequenas,  e lindas, crianças presentes também puderam se deliciar com o Spaghetti caseiro ao molho quatro queijos ou ao sugo.
Dani
Ah, e para fechar o jantar, uma inédita sobremesa  preparada no Pastifício (cópia quase fiel de receita do inglês Jamie Oliver): Torte di more (massa podre, com creme de marcarpone e amoras). E, para as pequenas crianças, servimos  sorvete de creme com lascas de chocolate amargo!!!!

Dani, agora vou citar algumas palavras convencionais nesta época do ano: obriga pela confiança e um iluminado 2012 para você e sua bela família!!! Conte sempre com o Pastifício!!!
Bia, Baby e Felipones, os cozinheiros
cappellettis

Torta de amoras

Ingredientes para a massa:
-125 gr. de manteiga
- 100 de açúcar peneirado
- 1 pitada de sal
- 250 gr. de farinha de trigo
- 1 fava de baunilha
- 2 gemas de ovos caipira
- 2 colheres de sopa de leite
Modo de preparo:
- Unte uma forma de fundo removível com um pouco de manteiga;
- Em uma tigela misture a manteiga, o açúcar peneirado e o sal. Mexa até obter um creme;
 - Adicione a farinha, as smentes da fava de baunilha e as gemas de ovo incorporando bem todos os ingredientes com as mãos
- quando a mistura estiver similar a migalhas de pão, adicione o leite
- Forme uma bola com esta massa sem fazr muito pressão. Se ficar muito apertada ficará elástica e grudenta. Embrulhe-a em papel filme e deixe descansar na geladeira por, no mínimo, 1 hora;
- Abra a massa com um rola e cubra o fundo da forma – faça furos com um garfo para que o ar possa sair durante o cozimento. Coloque no congelador por 1 hora;
- Aqueça o forno a 180 Cº e asse entre 12 a 15 minutos, até que fique ligeiramente dourada;
Reserve
Ingredientes do Recheio
- 350 gr. de mascarpone
- 350 grs. de Nata
- 3 colheres de sopa de açúcar
- 250 grs. de amoras pretas ou outra fruta similar da época
- 2 colheres de geléia de morango
Modo de preparo – Recheio
- em uma tigela incorpore todos os ingredientes, com exceção da geléia, e bata até ficar brilhante;
- Recheie a base de massa com o creme
- Disponha as frutas, uma a uma, espalhando por toda a torta.
Coloque na geladeira até o momento de servir.

À parte, em uma panela pequena, derreta a geléia com um pouco de água e ferva até formar uma calda.  Quando for servir, adicione algumas colheres sobre cada fatia.

terça-feira, 6 de dezembro de 2011

Capeletti in Brodo

Muito popular aqui no Sul, o Capeletti in Brodo é preparado apenas com caldo de galinha e capeletti. Mas, claro, cada colônia italiana sulina adaptou sua própria receita. Mesclada com os ingredientes locais, os modos de preparo se diversificam e assumem sabores diversos com ingredientes distintos. Lógico que a massa (capeletti, feito artesanalmente) e o caldo de frango são essenciais.
Hoje, em meio a textos, pautas, fotos e contatos com jornalistas....surgem 5 minutos de descontração sobre o prato. Eu e Lara, parceira  inigualável de trabalho, falamos, 'com água na boca', sobre o tal capeletti. Antes de chegar em casa, passei no supermercado, comprei os ingredientes e preparei esta versão com alho poró, cenoura ralada, cebola e um caldo de frango flambado na cachaça que elaborei na hora, pouco antes de acrescentar os capeletti. Modéstia a parte, ficou divino. Lara, aguardo sua receita para postar aqui no blog.
Ingredientes (para quatro pessoas)
-½ kg de peito de frango (sassami) cortado em cubos irregulares e temperados com pimenta do reino moída na hora
- 2 cebolas picadas em pequenos cubos
- 4 dentes de alho cortados em lâminas bem finas
- 1 bulbo de alho poro cortado em Lâminas bem finas
- 1 cenoura ralada em ralo grosso
- 100 gramas de lombo de porco defumado – no caso a preparada no pastifício, sem sal e com sabor inigualável, cortados em finíssimas tiras, na longitudinal
- 1 litro de água quente
- 1 folho de louro verde
- sal
- cerca de 5 colheres de azeite extra-virgem
- 200 gramas de capeletti fresco, de preferência preparado de forma artesanal (como não tinha tempo, tive que recorrer a um industrial, mas que não comprometeu)
- 1 dose de cachaça para famblar
½ xícara de talos de salsinha ou 1 talo de salsão, bem picado

Brodo em quatro momentos: mise-en-place, flambando 
na cachaça, apurando e pronto para servir
Modo de preparo
- temperar os nacos de frango com pimenta do reino
- Aquecer o azeite em uma panela de fundo grosso e borda alta
- colocar o frango até dourar todos os pedaços. Acrescentar o alho até exalar o perfume.
- em seguida a cebola. Deixe murchar por uns 3 minutos e acrescente a cenoura ralada. Coloque o defumado, mexa, aguarde 2 minutos e agregue o alho poro e a salsinha.
- Mexa bem e coloque a pinga. Flambe até o álcool todo evaporar. Quando o fogo da panela apagar.
- Acrescente a água quente e ferva por 20 minutos
- na seqüência, coloque a massa e deixe cozer por, no máximo, 6 minutos, já que ficará na panela enquanto degusta e vai continuar cozendo.
.
Sirva com queijo parmesão fresco, ralado na hora e temperos verdes.

sábado, 3 de dezembro de 2011

Brindes e degustações para um.... ‘Até breve’


Este é um blog de receitas, mas como boas comidas e infinitos brindes sempre celebram grandes momentos, este post é dedicado à amada amiga Célia, que realizou a primeira, de muitas, despedidas, ou, melhor dizendo, o primeiro de muitos ‘Até Breve’, no Pastifício Dell’Amore. Em janeiro de 2012 a família Drescher inicia um novo ciclo de vida um pouco distante de nós, no sul da Alemanha. Célia, Johnny, Théo e Dorinha, saibam que agradecer e despedir, conscientes  que o que foi tecido junto, na confiança da amizade e na cumplicidade do viver, é condição para a continuidade de nossa aposta comum, nossa amizade, nossa sintonia com o que nos é causa, princípio, diretriz e, sobretudo, modo de fazer a vida sempre feliz!!! Estaremos sempre ao lado de vocês!!!

Para tanto, com imensa dedicação e carinho, o Pastifício Dell’Amore preparou um cardápio especial para que suas companheiras de vida guardem não só a imagem, mas o sabor de momentos inesquecíveis. O cardápio trouxe todos os aprendizados da Toscana, com muitos legumes, pastas leves, riso simplice, pães, grãos - no caso lentilhas da sorte preparadas com defumados do Pastifício e, para finalizar, uma excessão dos pratos italianos, um Petit gâteau com sorvete de creme.
Téo, querida, em todo tempo, passageiro é a vida...O tempo tem pressa, e em cada parada uma despedida.
o que temos se vai; o que somos fica. Até breve!!

domingo, 20 de novembro de 2011

Sopa de Cogumelos ‘Paris em Rose’

A primeira colaboração para nosso blog, elaborada em terras distantes do Pastifício, não deixa de ser uma honra e, de minha parte, uma imensa satisfação por me trazer conhecimentos do dia a dia da cozinha parisiense – diversos da dos bistrôs (sem desmerecer) presentes em revistas e da maior parte dos ‘cardápios’ de turistas encontrados no Brasil.  A amiga Gabi, que recentemente se mudou para Paris (França) - paris en rose -, adora comer e cozinhar bem, e tem dom para a ‘coisa’. Além da habilidade nata é uma ‘especula da graúda’, como dizia minha amada mãe – o que a torna, antecipadamente, uma cozinheira adorável, com grande propriedade. Gabi, obrigada. Esperamos que esta seja a primeira de muitas. Para o arsenal de receitas do pastificio.blogspot, uma Sopa de Cogumelos ao estilo,como ela mesma descreve, 'improviso', sem desmerecer ingredientes e sem deixar de lado um bom caldo de legumes caseiro.
Vamos lá Gabi!!!! Boa sorte nesta nova etapa da sua vida e esperamos novos ‘improvisos’, deliciosos como este.
“A geladeira aqui na nova vida em Paris mudou um pouco, especialmente no tamanho - é na verdade um frigobar. Os ingredientes também mudaram, assim como o fogão - que são duas chapas elétricas. Ah...e o forno - um mini forninho elétrico. E te vira, nega, que restaurante aqui é caro!”
Ela sabe se virar muito bem e vai nos apresentar, sempre que puder, seu cotidiano gastronômico na França, e tenho a certeza de que diversas delícias das que conhecemos no Brasil.
“Bom, em recente final de semana, frigobar quase vazio e mercados fechados, resolvi me virar com o que tinha: cogumelos paris frescos, cebola, alho, caldo de legumes caseiro (mesmo com pouco espaço não perdi esse hábito de mamma),  fatias de bacon defumado, queijo de cabra fresco, as folhas da minha hortinha e um mini vinho rosé. Resolvi, então, fazer uma sopa de cogumelos. Como não encontrei na Internet receita similar, de acordo com o que dispunha e pretendia elaborar, tive que me aventurar por conta própria. Como eu estava super inspirada e com vontade de fazer tudo com calma e carinho, fui registrando os passos com a minha máquina (também quase sem bateria!)".
O resultado foi tão bom que fiquei super orgulhosa de ter transformado um frigobar quase vazio num super jantar. Claro, a qualidade dos produtos daqui ajuda até os menos experientes dos cozinheiros..."
Modesta. Gabi tem habilidade!!!!!
 Ingredientes  (para duas pessoas)
- 100g de cogumelos paris cortados em estrela (lavados em água e bem secos com papel toalha)
- 1 cebola picada
- 1 dente de alho grande em fatias
- 3 fatias de bacon fumé picadas
- 1 litro de caldo de legumes caseiro
- 1 colher de sopa queijo de cabra fresco
- 1colher de sopa de azeite de oliva extra virgem
- sal, pimenta do reino a gosto
- 1 punhado de salsinha fresca (1/2 xícara de chá)
Modo de preparo
Numa panela de tamanho grande fundo grosso, fritar levemente o bacon no azeite e, logo em seguida, fritar as fatias de cogumelo na gordura no bacon. Quando os cogumelos estiverem começando a ficar torradinhos nas bordas e o líquido tiver secado, acrescentar um pouquinho de vinho rosé para soltar o torrado do fundo da panela. Acrescentar a cebola e o alho e, se necessário, mais um pouco de azeite. Quando a cebola estiver corada, acrescentar o queijo de cabra e a salsinha. Já com uma aparência cremosa, é hora de acrescentar o caldo de legumes. Deixar o caldo ferver em fogo baixo até reduzir à metade. Quando o cheiro e a consistência estiverem irresistíveis....Voilà, tá na hora de servir!


terça-feira, 15 de novembro de 2011

Berinjelas crocantes

Legumes diversos podem se transformam, facilmente, em antepastos maravilhoso. Mais uma vez, a berinjela, que assume sabores distintos de acordo com o preparo. as beringelas crocantes podem ser servidos como uma entrada ou, ainda, com uma massa al dente. Esta forma de elaboração, onde se extrai todo o líquido da berinjela, deixa-as crocantes depois de preparadas.
Ingredientes
- 2 berinjelas cortadas em cubos pequenos e com a mesma proporção
- 2 cebolas roxas cortadas em nacos grandes. primeiro ao meio e depois na longitudinal
- 2 cabeças de alho, com dentes inteiros
- 2 pimentas vermelhas, frescas, cortadas em lâminas
- 100 ml de azeite de oliva extra-virgem
- sal
- 2 folhas de louro, verde
Modo de preparo
- Corte as berinjelas em cubos pequenos, com a mesma proporção
- Coloque-as em um escorredor e salpique com 1 colher sal
- Disponha o escorredor numa superfície inclinada, com um prato sobre o escorredor e um peso que mantenha os nacos pressionados. Com isso, todo líquido amargo do legume vai escorrer. O processo deve durar cerca de 10 horas;
- Depois do tempo decorrido, lave bem e distribua sobre um pano limpo, de preferência uma 'gaze' para que enxugue bem;
-Descasque os alhos e deixe banhado em azeite por 3 horas. Este azeite vai enriquecer o sabor da berijgela e vai tirar o sabor forte dos alhos;
- Aqueça uma frigideira com o azeite dos alhos e o suficiente para cobrir todo o fundo da panela
- Doure os dentes de alho em fogo bem baixo com as folhas de louro verdes
- Acrescente a pimenta, mexa alguns segundos e acrescente as beringelas
- Frite até obter uma cor dourada por igual
- acerte o sal
- desligue e deixe esfriar se desejar servir como antepasto
- Ou coloque uma massa cozida al dente na panela, mexa e sirva imediatamente.
- Desligue e deixe esfriar se desejar servir como antepasto
Obs.: Se desejar, coloque uma massa cozida al dente na panela, mexa e sirva imediatamente.
Esta forma de preparo também pode ser armazenada em vidros esterilizados, cobertos com azeite  e um pouco de vinagre de vinho branco e guardados por cerca de um mês fora da geladeira. 

domingo, 13 de novembro de 2011

Quirera com defumados do Pastifício

Feriado, sem coragem de enfrentar as estradas caóticas que nos levam ao nosso pequeno paraíso zimbreiro (Zimbros – Santa Catarina), o jeito é reverter os dias cinzentos e com um frio acalentador em felicidade. Como¿¿¿ Preparando quitutes para hoje, antepastos para amanhã e defumados para a semana. Aliás, a refeição deste domingo teve o sabor delicado de costeletas de porco defumadas no Pastifício: Quirera com costelas de porco defumadas*, acompanhas por folhas de couve recém colhidas da horta. Acalenta a alma e manda a nostalgia embora.  
Peças de Lombo e costelas de porco defumadas no Pastifício Dell"Amore
Ingredientes (para três pessoas)
- 1 xícara de quirera de milho, fina, descansada na água, por 6 horas
- 5 dentes de alho inteiros
- 2 cebolas cortadas grosseiramente
- 2 folhas de louro, verdes
- 2 pimentas vermelhas frescas, com sementes, no caso usei uma não muito picante
- ½ xícara de talos de cebolinha verde, a parte branca
- ¼ de xícara de folhas de alecrim fresso
- 1 colher de raspas da casca de limão siciliano
- 2 colheres de tomilho fresco
- 2 colheres de orégano fresco
- 3 costelinhas de porco defumadas
- 300 gramas de retalhos de porco (no caso de carré, mas com toda a gordura eliminada)
- 3 colheres de azeite para temperar a carne de porco
- 5 colheres de azeite para dourar a carne
- 1 litro de água quente
- 6 folhas de couve frescas, ou orgânica
- 1 dose de pinga
Modo de preparo
-  Deixar a quirera de molho em água fria por cerca de 6 horas
- Limpar a carne de porco e eliminar todas as gorduras e sebos
- Preparar uma marinada com o azeite, raspas de limão, tomilho, alecrim, os talos de cebolinha e orégano e mergulhar os nacos da carne  na marinada, massageando bem todos os temperos em cada pedaço
- Deixar descansar 1 hora na geladeira
- Aquecer o azeite em uma panela de borda alta e fundo grosso
- colocar a carne de porco com sua marinada e as folhas de louro
- Deixar dourar sem mexer muito, apenas selar por igual todos os nacos da carne
- chega a vez das costelas defumadas
- depois dos defumados, acrescentar os dentes de alho até exalar o perfume.  Em seguida a cebola e a pimenta.
- Mexer bem, colocar a pinga e flambar virando a panela em direção á chama do fogão.
- Colocar 50% da água, tampar a panela e cozer por 20 minutos
- Escorrer a quirera e colocar na panela com as carnes acrescentando a água quente aos poucos
- Acerte o sal e mexa para que cozinhe sem espirrar.
O Ponto da quiera dve ser cremosa. Então, se perceber que está um pouco grossa, adicione um pouco mais de água.
- cozer por 20 minutos, mexendo sempre.
À parte,
Lave as folhas de couve, escalde e sele rapidamente em azeite quente, mas por cerca de 1 minuto para que mantenha a crocância.
Sirva imediatamente em pratos fundos, regando a quirera com um bom azeite.
Carne de porco na marinada
Porco sendo selado nos temperos, com marinada

Defumados sendo preparados
Costeletas e Lombo de porco no Defumador do Pastifício

sexta-feira, 11 de novembro de 2011

Riso simplice com fungui porcini

Riso simplici com fungui porcini
Risotos, ahhhh os risotos. As dezenas e dezenas de vezes que dediquei horas a mexer, sem parar, os risotos dos mais variados sabores: de camarão, legumes, cogumelos, açafrão, morango com camarão.... O caldo caseiro, o ponto ideal do arroz, próprio para o preparo. Tantos foram os erros, mas, depois, só acertos. Até enjoar, pois tenho dessas!!! Agora, só quando amigos fanáticos pelo prato me pedem, que preparo, mas degusto apenas para provar se está no ponto ideal. Agora......chegou a vez do Riso Simplice. Quando deparei a primeira vez com esta forma de preparo do arroz Arbóreo confesso que questionei...” ma questa è la preparazione tradecional di risoo in Toscana¿ Não, me explicaram. O arroz arbóreo é o dia a dia, só que prparado de forma muito diversa e simples, deliciosa e leve. Basta uma panela de água em ebulição com sal. Depois, o sabor é agregado à parte, com azeite de oliva e o ingrediente de sua preferência. Outra aventura foi escolher o porcini, já que todos têm a mesma aparência e preços muito distintos. Então, a fornecedora me indicou: sinta os aromas e perceberá a diferença. Sem dúvida. Trouxe na bagagem um dos mais perfumados, que quando estão hidratando exalam seu perfume pela cozinha. A escolha em abundância é decorrente da época, outubro (outono) em que os cogumelos das mais diversas espécies se  proliferam pela Toscana.
Ingredientes para o arroz (para duas pessoas)
-          2 litros de água fervente
-          1 xícara de chá de arrroz arbóreo
-          sal
Modo de preparo
-          Ferva a água com sal
-          Acrescente o arroz arbóreo , mexa bem e cozinhe por cerca de 12 minutos
-          - Escorra e reserve
No caso, ao invez do sal convencional, usei sal de rosa (sale alle rose), com pétalas de flores que se abrem, ou, de outra vez, sal de porcini (sale al porcini), de acordo com o ingrediente que finalizei.
Para o elaborado com sal de rosas, mini tomates pêra; para o sal de porcini, fungui perfumados;
Já para o sal convencional, basilicão e nacos de tomates
sal marinho com rosas dourando no azeite
 Finalização do Riso simplice al porcini
-          1 cebola roxa cortada finamente
-          5 dentes de alho cortados em finas lâminas
-          100 ml de azeite de oliva extra virgem
-       100 gramas de fungui porcini hidratado com água morna e escorrido em fina peneira para eliminar qualquer impureza
-       1 pimenta fresca, com sementes, cortada em lâminas
- 1 folha de louro ainda verde
- Aqueça o azeite, coloque uma folha de louro. Doure o alho.
-          Acrescente a cebola até amolecer
-          Em seguida os cogumelos bem escoridos
-          - Abaixe o fogo e acrescente o arroz
-          aumente o fogo, regue mais um pouco de  azeite e  sirva imediatamente
Riso simplice com tomates e mangericão



segunda-feira, 7 de novembro de 2011

Testaroli ao Pesto do Pastifício Dell’Amore

Após a imersão cultural e gastronômica que tive a oportunidade de passar na Toscana, Itália, onde, durante 30 dias, convivi com pessoas que têm o prazer de proliferar seus conhecimentos sobre o cultivo e o preparo de alimentos orgânicos; e, sobretudo, sobre o ciclo de transformação de componentes da natureza, tento ‘Ganhar a Vida a Cada Momento’, a exemplo do modo de vida da população da região. Graças à dedicação e paciência de Gianni e Cris, do Il Borgo Della Colomba (Fosdinovo),  hoje reproduzo o que aprendi principalmente no fogão e na linda horta do Pastifício, que ganham, a cada dia, um minuto a mais de dedicação e um olhar distinto em cada receita ou novo tempero cultivado.   
No final de semana, foi a vez dos Testaroli, servidos com molho Pesto preparado como manda o ‘figurino’ da Toscana; Ligúria e arredores: Ramos de Basilicão lavados, amarrados pelos talos e secos ao vento durante algumas horas para que nenhuma gota de água interfira na textura da salsa. Depois, um azeite de procedência conhecida (a % de acidez não representa qualidade, como, por exemplo, 0% de acidez = um azeite sem propriedade alguma); pinoli rapidamente tostados, parmesão fresco, ralado, e a mesma quantidade de queijo pecorino ralado. Obrigada Cris. Obrigada Gianni. Gostaria que provassem meus Testaroli ao Pesto....lógico que receberia críticas, já que preparam delícias únicas!


quarta-feira, 2 de novembro de 2011

Orecchiette ao ragu de carne


Com uma carne de segunda, como no caso, o ‘coxão mole’, você consegue preparar um ragu extraordinário, como este que preparei. Só que optei pelo cozimento mais rápido utilizando uma panela de pressão e um triturador para picar os legumes. No mais, temperos frescos e uma massa de boa qualidade cozida al dente.
Ingredientes
- 500 gramas de patinho – em peça, com nervuras retiradas. Deixar bem limpa. O patinho tem muita pouca gordura, então é muito fácil de limpar
- 2 cenouras trituradas no ralo fino
- 3 cebolas bem trituradas, mas não deixar se tornar uma pasta, manter a textura
- 5 dentes de alho deixados no azeite de oliva de um dia para o outro
- 2 folhas de loro, frescas (se não tiver, use as secas
- ½ pimenta fresca (no caso usei habanera, que apesar de não ser italiana - Originária do Caribe e da Costa Norte do México – há em abundância na Toscana e trouxe várias frescas)
- 100 ml de azeite de oliva extra virgem
- sal e pimenta do reino
- ½ litro de caldo de carne caseiro aquecido. Se não tiver, utilize água quente
- 1 dose de cachaça
- 200 ml de polpa de tomate (faça em casa, já que é muito simples e o sabor faz a diferença)
- queijo parmesão para servir
Modo de preparo
- após limpar a peça de carne, tempere com pimenta do reino
- Triture a cenoura e a cebola separadamente
- Corte os dentes de alho marinados no alho em finas lâminas
- Aqueça o azeite, coloque as folhas de loro e a peça de carne, selando bem todos os lados. Não mexer, apenas virar para dourar uniformemente
- acrescente os dentes de alho até sentir o perfume exalar
- a pimenta picada
- a cebola, até amolecer e, na seqüência, a cenoura ralada em ralo bem fino
- mexa bem, e deixe cozer por cerca de 10 minutos em fogo baixo
- coloque a cachaça e raspe bem os grumos colados no fundo, que proporcionarão uma carne linda cor ao ragu
- Acrescente o caldo de carne ou água quente. Tampe a panela e cozinhe em fogo baixo por cerca de 20 minutos após a pressão começar
- após este tempo, retire a pressão, abra a panela e mexa bem. Ao fazer isso, a carne ficará totalmente desfiada. Abaixe bem o fogo, acerte o sal e deixe mais 10 minutos em cocção com a panela destampada (Não salgue a carne antes, pois ela ficará menos suculenta, já que o sal absorve a umidade).
- ao final, o caldo estará reduzido e você pode optar por servir com nacos de pão, como antepasto
- Mas, como a intenção era a de degustar uma massa, reservamos 50% do ragu e misturamos, numa outra panela, com a polpa de tomate já aquecida
- cozer a massa al dente e servir com parmesão fresco, ralado grosso

quarta-feira, 26 de outubro de 2011

Feijão Toscano com pancetta


Mais uma vez, retomo os grãos de feijão como tema para uma receita que já preparava, mas não da devida forma, de acordo com o tradicional, como o povo da Toscana prepara. Trata-se de grãos de feijão branco,  cozidos no azeite de oliva extra virgem, temperados com muita sálvia, dentes de alho inteiros, cebola, tomates sem pele, folhas de loro verdes e nacos de pancetta temperada com pimenta picante.Degustar com legumes salteados no azeite e pão.
Ingredientes
- 500 gramas de feijão branco, deixados de molho por seis horas
- 150 ml de azeite de oliva
- 5 dentes de alho
- ½ xícara de folhas de sálvia, inteiras
- 3 folhas de loro
- 100 gramas de pancetta com pimenta. Se não tiver acesso, use a tradicional e acrescente uma pimenta calabresa
- 3 cebolas cortadas grossamente
- sal
Modo de preparo
- Em uma panela de ferro já quente, coloque 1/3 do azeite de oliva
- Doure os dentes de alho, em seguida o loro e a sálvia. Em seguida, as cebolas. Doure por cerca de 3 minutos mexendo para que não toste
- Coloque o feijão já escorrido, mexa e deixe fritar um pouco com os temperos para que absorva bem. Regue mais um pouco de azeite, mexa, e espere os grãos, por completo, mudarem de cor e se tornaram brilhantes, translúcidos
- Acrescente a pancetta, os tomates bem picados e uma xícara de caldo de carne. Sempre ficará com pouco líquido, quase que fritando os grão. Depois de 10 minutos, mexa bem e regue com azeite. Repita mais uma vez o processo. Em 30 minutos os grãos estarão ao dente e muito saborosos. 







O mundo inicia aqui

Um lugar aparentemente perdido na Toscana,  numa antiga fábrica de camponeses arruinados e coberto pelo matagal, é, agora,  uma aldeia de conto de fadas, onde os olhos se perdem nos tons de verde e o silêncio em demasia te faz esquecer dos sons das cidades – já que não há tv, rádio e pouco sinal de internet. Trata-se do Il Borgo della Colomba, local que se mantem do agriturismo, onde se aprende a comer, viver e cozinhar de forma inigualável. Em meio a uma vida bucólica, onde se trabalha muito com a terra para cultivar seu próprio alimento e, após a colheita, sente o cheiro das massas preparadas artesanalmente com salsas simples, queijos, legumes, castanhas, invadir todos os ambientes, e a sua alma. Cozinhar com o azeite ali preparado, com os peperoncinos e ervas plantadas ao seu redor; preparar um molho sugo de castanhas, com as castanhas recém abertas pelas tuas próprias mãos.

E do outro lado, há poucos quilometros dali, enquanto você se prepara para conhecer as terras vizinhas,  olha para o horizonte e vislumbra de um lado o mediterrâneo e de outro castelos medievais perdidos em meio ao verde. Prazeres que fazem o cansaço do dia exalar rapidamente. Realmente um aprendizado de vida que está chegando ao fim, mas que nunca, em tempo algum, sairá da minha memória. Como diz um relato de um visitante do Borgo della Colomba: “Non lo credereste mai......ma il mondo passa di qui”. 



Il Borgo della ColombaO Borgo é um antigo moinho cujas as origens se perdem no tempo: é banhada pelo seu fluxo, do tempo do motor de moagem, com uma ponte romana medieval, que cruza sua entrada
 
A fazenda conserva a atitude de ser  100% orgânica e sempre produzir seu próprio azeite, mel, verduras e preparar alimentos em conservas na ‘cozinha laboratório’, como compotas, especiarias secas, garrafas de limoncello e outros licores.