Mostrando postagens com marcador horta. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador horta. Mostrar todas as postagens

quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015

Frescuras que refrescam e proporcionam saúde

Misturas de texturas revelam novos sabores a pratos do dia-a-dia
Alguns ingredientes básicos utilizados na composição de pratos têm a abençoada propriedade de refrescar o corpo, beneficiar a saúde e tornar uma simples refeição em preparos de muito sabor. Um singelo exemplo são legumes grelhados em uma chapa de ferro (no caso, lâminas de abobrinha e de berinjela), regados com azeite e salpicados com ervas frescas mais sal grosso. Esse prato, que pode assumir as vezes de um antepasto ou mesmo de refeição principal, só ganhou destaque em decorrência da mistura de texturas e da utilização da grelha sem gordura, que mantém intactas as propriedades nutricionais dos legumes, revelando sabores diversos.

endívia assada com balsâmico e cogumelos com tomilho e azeite
Outro aliado para preparações exemplares é o papel alumínio. Quando usado como embalagem para assar no forno cogumelos frescos temperados com tomilho, ou endívias inteiras salpicadas com sal e regadas com gotas de balsâmico, e, ainda, mini tomates com folhas de loro frescas..... maximiza os benefícios das comidinhas e absorve ainda mais os sabores das ervas agregadas a cada preparo.

ceviche de pescada, camarões salteados e coco ralado fresco
Há também complementos usados com frequência na cozinha, como dentes de alho picados grosseiramente ou macerados com manjericão e azeite; cebola roxa cortada em lâminas; balsâmico; raspas de limão siciliano; ervas frescas, entre elas sálvia, alecrim, menta, capim-limão, nirá, basílico ....que proporcionam resultados surpreendentes.

Agregar frutas, a exemplo da maçã cortada em cubos ou coco ralado fresco, em receitas com frutos do mar, a exemplo do ceviche - que no meu preparo leva também menta moída e gengibre picado - eleva o prato a outra categoria.
 
ceviche de robalo, camarão salteado mais maçã
Bom, esses são apenas alguns exemplos de distintos preparos que recebem sabores exemplares quando preparados de formas distintas. Mas, além disso, uma dica de que não abro mão (trazida na bagagem da Itália, direto do Borgo Della Colomba) é sempre ter um molho pesto ‘em mãos’. Seja para regar em uma fatia de pão logo pela manhã, como faz o querido Ale ou, ainda, para banhar uma massa ou um testaroli (receita também de Cris e Gianni, que acompanha meus compêndios de receitas).

testaroli
Atualmente, minhas refeições são, em sua maior parte, realizadas na minha cozinha, sempre na companhia da minha cocker Rúbia. Com isso, busco satisfazer meu apetite com os aprendizados do bem-viver, mas sem perder muito tempo com a elaboração, reservando os momentos para degustar com tranquilidade e, literalmente, comendo saúde. 
Rúbia

O que facilita o preparo é que as ervas e as hortaliças saem da minha própria horta, a exemplo do basílico. 



sexta-feira, 28 de novembro de 2014

Com amor e com afeto, fiz seu bolo predileto: Bolo de cerais e frutas frescas

                                                                           Bolo de cerais e frutas frescas



A receita de bolo similar já foi detalhada neste blog, mas, além de sempre incorporar castanhas diversas, finalizações exímias com lâminas de frutas distintas, o Bolo de cerais e frutas frescas preparado pela Lu Martins (Luzinha) sempre chega em momentos especiais, isto é, quando menos esperamos. Além de ser um preparo adequado ao período de festas, pois além de ser belo, incorpora componentes símbolos da cozinha natalina, como as nozes, castanhas, frutas secas mais frescas e...presentes. Sim, presentes, pois morar na Vila - nomeada por nós de Ida em homenagem a senhora Ida, minha querida avó e madrinha - foi o começo de um resgate de uma história de vida, onde os temperos, legumes, hortaliças, flores....brotavam por todos os cantos. Onde sob sol e chuva ela e o vô Constante se dedicavam à horta, que à época, podia ser admirada até o fundo de vale coberto pela Mata Atlântica, que hoje foi aterrado por quem não sabe da terra nada tirar. Anos passaram e cá estamos nós a resgatar, dia após dia, as terras lá no fundo estancadas, cheias de cuidados, mas, com o passar dos anos, escondidas. 
"Com amor e com afeto, fiz seu bolo predileto"
Palavras da própria quituteira Luzinha exemplificam o quanto significa morar aqui, na Vila Ida. Todas as semanas, cá estamos nós, compartilhando saberes, sabores e amores. Trocando afagos por meio de pequenas porções de delícias; de mudas, sejam elas de temperos, de flores, de ervas. Os jardins a cada dia mais resplandescentes, cada morador da Vila responsável por seus cultivos, mas sempre complementados pelas mãos da dupla Carmelino e Kátia, profissionais exímios contratados mensalmente para nos ajudar a dar cor e ainda mais vida aos caminhos que levam ao Pastifício Dell'Amore.
Viver aqui me remete muito ao dia-a-dia dos italianos, que brigam para ter a oliva mais palatável, os legumes mais brilhantes, o sabor mais exultante. Tive nostalgia deste modo de vida amplamente alastrado na Itália ao conversar com um jovem italiano (. Ele e sua esposa, de passagem profissional pelo Brasil, moram em Milão. Mas me relatou que quando está em Milão, ao visitar a família no , na bagagem, os litros de azeite de oliva não podem faltar, já que como os produzidos por eles, na Puglia, são os melhores do país da bota. Os jovens agricultores, que, independente da profissão que optam por seguir, jamais deixam de lado a essência de ser um camponês e referendar os 'frutos' familiares como melhores de que os produzidos na Toscana. Assim como só um verò italiano sabe ser e fazer. 

Ingredientes
·       2 xícaras (chá) de farinha de trigo integral
·    1 xícara (chá) de farinha de trigo branca
·    2 xícaras (chá) de açúcar cristal (eu uso 2 xic. de açúcar mascavo ou 1 xic de acúcar cristal 1 xic de açúcar mascavo)
·    1 xícara (chá) de leite
·    3 ovos
·    3/4 xícara (chá) de óleo
·    1 colher (chá) rasa de canela em pó
·    1 colher (sopa) rasa de fermento químico - para bolos
·     2 maçãs 'fuji
·     1 limão galego
·     1 punhado de ameixas secas descaroçadas picadas
·     1 punhado de uvas passas brancas descaroçadas
·     1 punhado de Castanha do Pará picadas grosseiramente (ou nozes, amêndoas, etc)
Modo de preparo
Fatie as maçãs e deixe marinando no suco do limão com um pouco de açúcar, para não escurecer. Reserve. Envolva as passas, a ameixa e a castanha em farinha para que essas se espalhem uniformemente na massa. Reserve também. Em uma tigela coloque as farinhas, o açúcar, a canela e o fermento. Bata agora no liquidificador os ovos com o óleo e o leite. Junte esse líquido aos ingredientes secos na tigela. Mexa bem à mão. Adicione as frutas secas e as castanhas, mexendo bem para que essas se espalhem pela massa por igual. Despeje em fôrma untada e enfarinhada. Decore com as fatias de maçã, fazendo desenhos. Leve para assar em forno preaquecido. Espete um palito no meio do bolo para saber quando esse está pronto (deve sair seco).

domingo, 3 de junho de 2012

Coelho à mesa

coelho já pronto para ser degustado. Foto: amiga Gabi

Um roteiro com cheiro e sabor de campo no qual as horas do dia são lembradas pelos intensos  aromas que imperam nas vielas das aldeias da Toscana. Em Fosdinovo (Massa Carrara) não é diferente. Quando que se acorda, antes mesmo do trabalho, alguns ingredientes são colhidos, outros separados na geladeira e, após os afazeres no campo e o badalar dos sinos nos borgos vizinhos, rapidamente um cardápio de delícias é posto à mesa.
 E como hoje é domingo, não poderia ser diferente do Brasil. Os afazeres são executados ainda mais lentamente e as comidas ainda mais deliciosas. Então, vamos ao coelho, prato tradicional da região, seja preparado como ragú, salteado e cozido no próprio caldo, com legumes ou, ainda frito, como o típico ‘frango a passarinho’.
 Ingredientes
- 1 coelho de cerca de 1 quilo cortado pelas juntas
 - 2 cebolas cortadas grosseiramente
- 1 talo de salsão
- 1 cenoura cortada grosseiramente
- 1 punhado de sávia fresca
- 50 ml de azeite de oliva
- 2 dentes de alho cortados ao meio
- 1 colher de chá de pimenta fresca, picante, com semente
- 1 xícara de um bom vinho branco seco
- 1 punhado de azeitonas pretas pequenas
- 1 de chá de água quente
 Modo de preparo
- após cortar o coelho pelas juntas, separando a moela e fígado para a cobertura das brusquetas, temperar com sal
- Aquecer o azeite e dourar todos os nacos igualmente
- colocar o alho, pimenta, e, em seguida, a cebola, salsão e cenoura
- Adicionar o vinho, mexer bem para desprender tudo o que se prendeu na panela, pois isso agregará sabor e cor ao caldo. Em fogo baixo, deixar vinho evaporar
- acrescentar as azeitonas, deixar cozer um pouco mais – 5 minutos - para que exalem o sabor, e depois a água quente
- Tampar e deixar cozer por 30 minutos, mexendo de tempo em tempo.
Após este período, a carne estará tenra e macia.  Deixar descansar por 10 minutos.
Quando for servir, aquecer. Se estiver com caldo seco, colocar mais um pouquinho de água
Servir imediatamente.
Ah, não esqueça de reservar os miúdos, que serão transformados numa iguaria sem tamanho.

sábado, 2 de junho de 2012

O tempero bem aproveitado


 A gastronomia da Toscana é caracterizada pelo perfume dos temperos que proliferam pelos vasos, canteiros e hortas de todos os lugares por onde se caminha. As ervas frescas, cultivadas em lugares diversos, proporcionam a cada dia um novo sabor ao mesmo cardápio. A sálvia e o alecrim, de aromas inconfundíveis, são levados em maços para a cozinha e, a partir deste perfume, o menu é definido em minutos. Com isso, não há como não lembrar o quanto é relevante retomar ‘o caminho do pomar’ e colher o alimento que brota no quintal e levá-lo à mesa. A prática, que nunca se perdeu por aqui, no Brasil passou a fazer parte das varandas, pequenos espaços de terra e canteiros nas janelas de apartamentos e casas nos grandes centros urbanos.

sexta-feira, 1 de junho de 2012

Sabor de viagem....à horta


 À medida que o verão avança na Itália, as frutas da horta proporcionam cor e sabor aos doces. Morangos, maças e sucos de frutas diversas se transformam rapidamente em tortas e bolos, e levam à mesa um aroma de casa de mãe. Desta feita, um bolo energético. Isso quer dizer, uma mistura de manteiga, açúcar, ovos, farinha e suco de laranja. A palavra energética é decorrente das calorias, já que depois que se degusta um pedaço deste bolo – Piuma Cake – consegue-se andar rapidamente de Fosdinovo  à Roma, de acordo com  Gianni, que preparou ligeiramente estas iguarias, antes mesmo das 7h da manhã.
Para a receita de dois bolos:
- Manteiga
- Açúcar
- 8 ovos caipira
- farinha de trigo
- fermento biológico
- suco de laranja fresco
Misturar primeiramente os ingredientes secos e separar. Paralelamente, os ovos e o suco de laranja. Em um misturador de ingredientes, bater a manteiga, agregar os ovos e o suco, e lentamente, os ingredientes secos. Dispor em duas formas untadas com manteiga e polvilhadas com farinha de grano duro. Tirar o excesso de farinha. Distribuir a massa e assar até dourar por cerca de 20 minutos em forno quente a 180 C.
Torta de Maça sendo preparada

Torta de Maça

domingo, 13 de novembro de 2011

Quirera com defumados do Pastifício

Feriado, sem coragem de enfrentar as estradas caóticas que nos levam ao nosso pequeno paraíso zimbreiro (Zimbros – Santa Catarina), o jeito é reverter os dias cinzentos e com um frio acalentador em felicidade. Como¿¿¿ Preparando quitutes para hoje, antepastos para amanhã e defumados para a semana. Aliás, a refeição deste domingo teve o sabor delicado de costeletas de porco defumadas no Pastifício: Quirera com costelas de porco defumadas*, acompanhas por folhas de couve recém colhidas da horta. Acalenta a alma e manda a nostalgia embora.  
Peças de Lombo e costelas de porco defumadas no Pastifício Dell"Amore
Ingredientes (para três pessoas)
- 1 xícara de quirera de milho, fina, descansada na água, por 6 horas
- 5 dentes de alho inteiros
- 2 cebolas cortadas grosseiramente
- 2 folhas de louro, verdes
- 2 pimentas vermelhas frescas, com sementes, no caso usei uma não muito picante
- ½ xícara de talos de cebolinha verde, a parte branca
- ¼ de xícara de folhas de alecrim fresso
- 1 colher de raspas da casca de limão siciliano
- 2 colheres de tomilho fresco
- 2 colheres de orégano fresco
- 3 costelinhas de porco defumadas
- 300 gramas de retalhos de porco (no caso de carré, mas com toda a gordura eliminada)
- 3 colheres de azeite para temperar a carne de porco
- 5 colheres de azeite para dourar a carne
- 1 litro de água quente
- 6 folhas de couve frescas, ou orgânica
- 1 dose de pinga
Modo de preparo
-  Deixar a quirera de molho em água fria por cerca de 6 horas
- Limpar a carne de porco e eliminar todas as gorduras e sebos
- Preparar uma marinada com o azeite, raspas de limão, tomilho, alecrim, os talos de cebolinha e orégano e mergulhar os nacos da carne  na marinada, massageando bem todos os temperos em cada pedaço
- Deixar descansar 1 hora na geladeira
- Aquecer o azeite em uma panela de borda alta e fundo grosso
- colocar a carne de porco com sua marinada e as folhas de louro
- Deixar dourar sem mexer muito, apenas selar por igual todos os nacos da carne
- chega a vez das costelas defumadas
- depois dos defumados, acrescentar os dentes de alho até exalar o perfume.  Em seguida a cebola e a pimenta.
- Mexer bem, colocar a pinga e flambar virando a panela em direção á chama do fogão.
- Colocar 50% da água, tampar a panela e cozer por 20 minutos
- Escorrer a quirera e colocar na panela com as carnes acrescentando a água quente aos poucos
- Acerte o sal e mexa para que cozinhe sem espirrar.
O Ponto da quiera dve ser cremosa. Então, se perceber que está um pouco grossa, adicione um pouco mais de água.
- cozer por 20 minutos, mexendo sempre.
À parte,
Lave as folhas de couve, escalde e sele rapidamente em azeite quente, mas por cerca de 1 minuto para que mantenha a crocância.
Sirva imediatamente em pratos fundos, regando a quirera com um bom azeite.
Carne de porco na marinada
Porco sendo selado nos temperos, com marinada

Defumados sendo preparados
Costeletas e Lombo de porco no Defumador do Pastifício

segunda-feira, 17 de outubro de 2011

Creme Mediterrâneo

À primeira vista, este antepasto pode parecer lugar comum, mas, além de simples preparo, é muito saboroso e distinto dos que já provei.
Ingredientes (para cinco porções de cerca de 300 gramas)
- 300 gramas de tomate seco, conservado em óleo
- 5 dentes de alho
- 3 colheres de sopa de alcaparras conservadas em sal
- 1 colher de Aceto balsâmico
- 5 colheres de sopa de azeite extravirgem
- folhas de Basílico para decorar
Modo de preparo
-basta triturar tudo, não deixando plena pasta
- distribuir em pequenas cumbucas 
- servir com pão italiano ou focaccia como antespasto

alcaparras conservadas no sal

quarta-feira, 15 de junho de 2011

Polenta cremosa com ragu de frango

Há quem tenha receio de preparar polenta e opte pelas pré-cozidas. Existe motivo para isso. Lembro-me bem das borbulhas e dos respingos de fubá nas cozinhas de minha infância e as marcas redondas de queimaduras nos braços das minhas avós. Mas nada substitui a polenta cozida lentamente. Para evitar as ‘explosões’ de fubá, acrescente fios de um bom azeite de oliva durante o cozimento.
Utensílios
-- 1 caçarola de ferro não muito grande para o preparo do frango
- 1 faca bem afiada para cortar o frango
- 1 martelinho de cozinha para apoiar o corte
- 1 panela de ferro alta para o preparo da polenta
Ingredientes (para quatro pessoas)
Para o ragu de frango caipira
- 1 kg de coxa e sobre coxa de frango, de preferência caipira, cortados em pedaços pequenos (à passarinho). Pode pedir para seu açougueiro fazer isso ou você mesmo, com uma boa faca e muito cuidado para não danificar o utensílio e também para não se ferir, já que os ossos exigem um pouco de força e o apoio de um martelinho de cozinha
- 1 cabeça grande alho com os dentes cortados em finas lâminas
- 1 maço de salsinha, inclusive com os talos, bem picado
- 1 maço (cerca de 1 xícara de chá) de Nirá cortado finamente
- 1 maço de cebolinha (cerca de 1 xícara de chá) cortado finamente
- um punhado de folhas de manjericão (cerca de 1 xícara de chá) cortados finamente
- 3 ramalhetes de alecrim. Desfolhe os galhos e pique
- 1 pimenta dedo de moça, sem sementes, cortada em lâminas
- Pimenta do reino ralada
- 2 colher de sopa de coloral
- 1 colher de sopa de páprica picante
- ½ xícara de chá de azeite de oliva (cerca de 50 ml) de azeite de oliva para temperar o frango
- 3 colheres de sopa de suco de limão rosa
- ½ xícara de chá de azeite de oliva (cerca de 50 ml) de azeite de oliva para dourar o frango
- 1/3 xícara de óleo de girassol para dourar o frango
- 1 litro de água quente, que será utilizada aos poucos.Por isso, mantê-la sempre aquecida no fogão
Modo de preparo
- Com os pedaços do frango em mãos, retire o excesso de peles e gorduras. Lave bem e deixe secar um pouco num escorredor
- Coloque todos os temperos verdes numa travessa, acrescenta o azeite e o suco de limão.
- Acrescente os pedaços de frango, adicione o sal, pimentas, coloral e páprica picante.
- Misture bem com as mãos para que o tempero penetre bem na carne
- deixe marinar por 1 hora, no mínimo. O ideal são duas horas
- Aqueça a panela de ferro e coloque o azeite e o óleo. Coloque os pedaços de frango aos poucos, mexendo rapidamente uma só vez.
- Deixar dourar todos por igual.
- Se verificar que os nacos de frangos estão grudando no fundo da panela de ferro adicione água quente (bem pouca) e raspe o fundo para não desperdiçar qualquer sabor. Este processo vai proporcionar uma cor dourada ao caldo, que vai engrossando aos poucos.  
- Siga este processo durante 1 hora, utilizando toda a água, sempre quente
- ao final deste tempo, a carne do frango estará totalmente desprendida dos ossos, que deverão ser removidos.
- após retirar os ossos, mantenha o ragu no fogo baixo enquanto prepara a polenta

Ingredientes para a polenta
- 1 xícara de fubá amarelo, de boa procedência e bem fino
- 3 xícaras de água fria para demolhar o  fubá
- 4 dentes de alho bem picado
- 1 fio de azeite para dourar o alho
- 1 litro de água
- Mais cerca de ½ xícara de azeite para o cozimento da polenta.

Modo de preparo
- Misture o fubá com as três xícaras de água fria e mexa bem para dissolver todos os grumos da farinha. Deixe descansar cerca de 15/20 minutos
- Em uma caçarola alta doure os dentes de alho e acrescente 1 litro de água
- Quando ferver, acrescente o fubá e mexa bem
- Para evitar que as ‘bolhas’ comecem a explodir pela cozinha, regue com azeite e não mexa.
- Deixe cozinhar lentamente por aproximadamente 30 minutos, mexendo de vez em quando e regando azeite
- Após este tempo, sirva imediatamente
Salpique com cubos de tomates italianos, que vão proporcionar um colorido ao prato
Este prato aquece o corpo e a alma. 



domingo, 29 de maio de 2011

Spaghetti caseiro com tradicional ragu de ossobuco

Nada melhor para um cardápio de domingo do que um tradicional almoço italiano. Massa caseira, servida com ragu de ossobuco, cozido lentamente em panela de ferro. Lógico que com o devido cuidado para que os tutanos fossem preservados e degustados como entrada, em uma ciabatta recém saída do forno.  Para tanto, nada mais de que dois pedaços de músculo com osso, farinha,ovos, temperos frescos, legumes e dedicação.
Ingredientes para a massa (para duas pessoas)
- 200 gramas de farinha de trigo
- 2 ovos  
Ingredientes para o Ragu de ossobuco
- 2 pedaços de músculo com osso – pedir ao açougueiro para que estejam com os tutanos
- 2 cenouras
- 3 cebolas
- 1 maço de salsinha bem picada, inclusive com os talos
- 1 maço de manjericão (folhas picadas)
- 1 maço de orégano freco
- 1 folha de louro seco
- 1 punhado de alecrim
- 1 punhado de tomilho limão
- sal
- azeite extra virgem
- um punhado de farinha de trigo
Modo de preparar massa
- Incorporar ovos à farinha.
- embrulhar em papel filme e deixar na geladeira por cerca de 30/40 minutos
Modo de preparar ragu
- Separar a carne do osso e cortar a membrana que envolve os pedaços do músculo. Isso impedirá que se enrolem e fiquem selados de formas distintas
- passar rapidamente a carne pela farinha e bater para retirar o excesso
- temperar a carne com o tomilho limão
- Numa panela de ferro, aquecer cerca de 5 colheres de sopa de azeite de oliva
- Dourar a cebola, cenoura e os demais temperos, que devem ser todos embrulhados ao redor da folha de louro e amarrados com  um comprido pedaço de barbante, para que seja facilmente retirado quando o cozido estiver no ponto
- acrescentar os dois ossos e os pedaços de carne. Dourar bem, junto aos legumes e temperos.
- Retirar os dois ossos que serão as entradas*
(*aqueça o forno, forro um forma com papel alumínio e finalize o cozimento dos tutanos por cerca de 15 minutos, em fogo alto. Retire os tutanos com uma pequena colher e passe sobre as ciabattas. Degustar imediatamente)
- Enquanto degusta, não esqueça da panela com demais ingredientes. Mexa delicadamente.
- coloque o caldo de carne, até que os pedaços fiquem cobertos (de outra forma, a carne vai ressecar)
- Cozinhe em fogo baixo por cerca de 2 horas
 - depois deste tempo, retire os pedaços de carne, pique com a faca e volte para a panela. Os legumes vão desmanchar e engrossar o molho
Finalização
- Enquanto finaliza o cozimento do ragu, estique a massa um pouco mais grossa do que a de talharim e passe na maquina no cilindro de corte fino. Ficará com aspecto de linguine, mas bem mais firme, que preservará o ponto ‘al dente’ quando cozida, rapidamente, por cerca de 4 minutos
- A massa, após o ponto, deverá ser agregada ao molho na panela de ferro.
Dessa forma, o molho vai se incorporar bem ao Spaghetti
Servir imediatamente regada com um bom azeite, queijo parmesão e pimenta calabresa seca.
 

domingo, 3 de abril de 2011

Bucatini de frango à moda oriental

Para esta massa, que precisava afagar a fome e a alma, decidimos adicionar alguns temperos e ingredientes não usuais no nosso dia a dia, o que tornou este prato com sabor incrível. No caso, o capim limão, da horta (de uma muda gentilmente cedida pelo amigo Ronan), o gengibre e o curry. A inspiração veio enquanto assistíamos o novo programa do Oliver, que preparou um camarão a moda oriental. Trocamos o crustáceo pelo frango e o leite de coco pelo creme de leite.

Indredientes (para 2 pessoas)
- 200 gramas de Bucatini
- água, com sal, para cozer a massa, em uma panela alta
- 300 gramas de frango, de preferência o sassami, cortado em pequenos pedaços desiguais
- 50 gramas de bacon cortado em pequenos cubos
- suco de 1 limão
- 1 pitada de pimenta do reino 
- 1 pitada de curry
- 1 colher de sopa de gengibre ralado
- 1 bulbo da pequena espessura de capim limão picado em rodelas fininhas
- 1 dente de alho bem amassado, com a lateral da faca
- 1 cebola bem moída
- Metade de uma pimenta dedo de moça, sem sementes, bem moída
- 100 ml de creme de leite fresco batido previamente numa travessa
- 1 colher de sopa de manteiga, sem sal
- 3 colheres de azeite de oliva extra-virgem
- Meio maço de manjericão picado
- 1 punhado de tomilho limão

Modo de preparo
- Em uma peneira de alumínio, temperar os cubos de frango com sal, pimenta do reino, suco de limão e curry. Mexa bem e deixe descansar por cerca de 15 minutos para absorver temperos
- Aqueça uma frigideira com o azeite e a manteiga.
- Adicione o bacon e frite em fogo bem baixo para que não toste
- Acrescente o alho, até liberar o aroma e, em seguida, a cebola, a dedo de moça e o capim limão.
- Em outra panela, coloque a massa para cozinhar (cerca de 10 minutos)
- Na frigideira com os temperos, acrescente o frango e deixe fritar lentamente para que os sabores se incorporem
- Para finalizar, coloque a nata e mexa rapidamente com um foie. Acrescente o tomilho limão e desligue o fogo
- Sirva a massa nos pratos e regue com o molho. Salpique com o manjericão.  

quinta-feira, 10 de março de 2011

Sopa de Cenoura com cereais

 
Em Curitiba, as sopas sempre são bem vindas, já que, por aqui, o frio não respeita estações. E para saciar a fome em uma das noites chuvosas de carnaval, preparei uma sopa que já se tornou um clássico do Pastifício, que tem como base cenouras raladas, caldo de legumes e nacos de frango. Para variar, acrescentei alguns cereais integrais em pequena quantidade, já que o amarelo do legume deve predominar. Para facilitar, comprei um mix de cereais e soja (arroz, aveia e cevada integral, trigo em grãos, Centeio, triticale, arroz selvagem e soja).
Ingredientes (para três pessoas)
- 500 gramas de peito de frango cortados em cubos não muito pequenos
- 2 cenouras grandes (cerca de 300 gramas, já descascadas) raladas em ralador grosso
- 1 cebola bem picada (concassê)
- 2 dentes de alho cortados em Lâminas
- 1 colher de chá de gengibre fresco, picado finamente)
- 1 litro de caldo de legumes                                                                     
- 50 ml de azeite de oliva
- sal
- 1 pitada de páprica doce
- colher de chá de pimenta dedo de moça, sem sementes, bem picada
Modo de preparo
- Corte o frango e tempere com a páprica
- Aqueça o azeite e doure os nacos de frango sem deixá-los secar (por isso, os cubos devem ser de cerca de 5 cm, sem necessidade de corte preciso)
- Acrescente o alho até liberar o aroma e, em seguida, a cebola a dedo de moça e o gengibre
- Em fogo bem baixo, coloque a cenoura ralada. Mexa bem e deixe fritar por cerca de 5 minutos.Assim, o legume vai liberar sua cor no caldo.
- Coloque 50 gramas de cereais, mexa novamente por cerca de 3 minutos.
- Coloque o caldo de legumes
- Cozinhe por cerca de 30 minutos.
Sirva e salpique folhas de manjericão  nos pratos.

quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

Carpaccio rústico

Desta feita, uma versão de um prato com históricos fenomenais no Pastifício – medalhões de contra-filé, sem osso, mas que na ocasião só se tornou iguaria no dia seguinte ao do jantar em que foi servido. A cozinha tem dessas coisas: a distração de segundos prejudica o resultado. Após selar a carne, salgar, deixá-la descansar, pequei na finalização. Não deixei tempo suficiente no forno.
No outro dia decidi afiar com precisão a nossa melhor faca de corte, que não é das melhores, e fazer um Carpaccio Rústico. Sem as tradicionais alcaparras que, considero, tem uso restrito e podem dominar o sabor do prato.
Ingredientes:
- Uma peça de  contra-filé, sem osso, de cerca de 700 gramas, cortada em medalhões com espessura de cerca de 2cm de altura e mais 0,5 cm de gordura (não sebo)
- Pimenta do reino moída na hora
- 5 pepinos em conserva cortados em concassê
- azeite
- queijo parmesão
- um punhado de cebolinha verde bem picada
- raspas de um limão siciliano
- 100 ml de azeite e uma colher de manteiga para selar a carne


O processo: a bela peça de contra-filé, sem osso, de cerca de 700 gramas, cortada em medalhões com espessura de cerca de 2cm de altura e mais 0,5 cm de gordura (não sebo), que proporcionará a utilização de menos azeite\manteiga quando for selar a carne. Depois de a peça estar pronta, deixe-a na geladeira, e depois de 12 horas retire a gordura e corte em finas fatias,
Disponha em um prato, regue com bom azeite extra-virgem. Finalize com raspas de limão siciliano e pepino azedo  em conserva cortado em pequenos cubos, cebolinha verde e queijo parmesão ralado no momento de servir.

domingo, 26 de setembro de 2010

Galeto dourado e grão de bico com especiarias

Galeto dourado e grão de bico com especiarias
(Serve três pessoas. Tempo de preparo – cerca de 50 mintutos)
Para acalentar a alma dos amigos, nada melhor do que servir uma comida saborosa e preparada com carinho, numa panela de ferro, com especiarias e ervas frescas. Na ocasião, um galeto, grãos de bico de molho, ervas frescas da nossa horta já colhidas – uma combinação perfeita. Então, vamos para a cozinha.
Para o Galeto:
1 galeto de cerca de 300 grs
3 ramos de alecrim picados
10 mini cebolas inteiras
5 dentes de alho inteiros
1 maço de salsinha bem picado, com talo – só elimine a parte mais grossa do talo
3 colheres de tomilho limão
3 colheres de shoyo
2 xícaras de água quente
100 ml de azeite  extravirgem
Sal e pimenta do reino
1 xíc. De chá de vinho branco seco
Modo de preparo:
Desossar o galeto fazendo um primeiro corte sobre o peito e segundo, com faca bem afiada, rente ao osso. Preserve as asinhas e coxas. Estique a ave e tempere com sal, pimenta, alecrim, salsinha, azeite.  Despeje o vinho e massageie bem a carne. Deixe descansar enquanto prepara o grão de bico.  
Grão de bico
500 gr. de grãos seco deixados de molho em água fria por 1hora
1 litro de água
1 colher de sopa páprica picante
1 colher de sopa de cominho
2 cebolas bem picadas
1 maço de salsinha bem picada.
100 ml de azeite para cozinhar – virgem e
100 ml extra-virgem para finalizar
O primeiro passo para um grão de bico perfeito é tirar a casca, indigesta e que proporciona que o alimento libere mais intensamente seu sabor.
Para isso, afervente durante 10 minutos e passe para uma bacia com água fria. Remexa bem com as duas mãos e vá tirando a casca de todos, artesanalmente. Dá trabalho, mas o resultado é fantástico. À medida que as casacas vão boiando vá retirando e trocando a água. Com dedicação, praticamente 100% é eliminada.
Na panela de pressão, aqueça o azeite virgem, douro a cebola com a páprica e o cominho. Coloque os grãos e a salsinha. Doure um pouco mexendo sempre para não grudar no fundo. Cubra de água – apenas 1 cm acima do conteúdo da panela. Regue mais um pouco de azeite, feche a panela. Após pegar pressão, cozinhe 15 minutos, elimine e pressão,  destampe e mantenha no fogo para engrossar o caldo. Acerte o sal, pimenta. Cuide para que os grão se mantenham ao dente, mas com caldo grosso e levemente dourados pela páprica.
Galeto – Modo de preparo
Retire da marinada, escorra e reserve o líquido.
Aqueça uma panela de ferro pequena, que tenha tampa, no caso uma maravilhosa que o querido amigo Silka me presenteou no Natal de 20009.
Doure a ave inteira, primeiro com a pele para baixo, sem mexer para que não se quebre a ave e a pele não desgrude. Após cerca de 15 minutos, vire, acrescente as cebolas e alhos inteiros, o tomilho limão.
Deixe dourar mais cerca de 10 minutos, em fogo médio para não queimar.    
Depois disso coloque 1 xícara de água quente, tampe e cozinhe 10 min.
Quando secar, mexa delicadametne, coloque o shoyo e mais uma xícara de água.
Nestes últimos 10 minutos, o molho vai engrossar, as cebolas e alho caramelizam e a carne do Galeto se mantém firme.
Sirva os nacos de frango por cima do grão de bico, com um pouco do caldo da ave e cebolinhas francesas picadas para aguçar ainda mais o paladar.
Um brinde à nossa querida amiga Lola.

quarta-feira, 31 de março de 2010

Quibebe de milho verde com legumes

Comidas reconfortantes, que acalentam a alma, preparadas lentamente e com muito carinho. Para mim, estas refeições são as mais marcantes e a preparação a que mais me tranqüiliza após um estressante dia de trabalho. 

Quibebe de milho verde com legumes (para 6 pessoas)
4 espigas de milho verde cortadas em pedaços de cerca de 3 cm
200 gramas de acém, cortado em brunoise (cubinhos que não passam de o,5 cm)
2 cenouras cortadas em finas rodelas
4 batatas médias cortadas em brunoise
2 cebolas picadas
3 dentes de alho bem picados
Cerca de 10 folhas de manjericão fresco bem picadas
1 folha de louro
1 maço de salsinha cortado grosseiramente
Sal
1 pimenta dedo de moça sem sementes bem picada
1 litro de caldo de carne
½ repolho roxo (um pedaço de cerca de 200 gramas) rasgados em pedaços grandes
150 ml de azeite de oliva,

Modo de preparo:
O segredo deste cozido (ou quibebe) é a preparação por etapas em um grande panelão, de fundo grosso. Cito cozido ou quibebe pela definição de Antonio Houaiss: purê de abóbora ou papa de qualquer outra coisa, cozido lentamente.
Aqueça 100 ml de azeite e doure a carne. Acrescente o alho até sentir o aroma e, em seguida, a cebola, a pimenta dedo de moça e o manjericão. Frite até amolecer a cebola e coloque o milho. Mexa frequentemente por uns 20 minutos até os grãos mudarem de cor.
Acrescente 50% da cebola (que vai se desmanchar e engrossar o Quibebe. Cubra com o caldo de carne já quente. Tampe a panela por mais 20 minutos. Coloque a cenoura, o resto da batata. Tampe novamente e cozinhe por mais 10 mintuos.
Ufa. Lá se foram cerca de 1 hora de intensos aromas. Mas agora basta finalizar.
Desligue o fogo e acrescente o repolho, a salsinha e regue com o restante do azeite. Tampe a panela por 10 minutos e sirva distribuindo as verduras e legumes de forma que todos os pratos fiquem com bem coloridas.